PAPA FRANCISCO-PROXIMIDADE À PETRÓPOLIS

PAPA FRANCISCO-PROXIMIDADE À PETRÓPOLIS

PAPA FRANCISCO-PROXIMIDADE À PETRÓPOLIS

  • 21 de Fevereiro de 2022
  • Publicado, 13:33:36

NO ÂNGELUS, PAPA FRANCISCO DEMONSTRA PROXIMIDADE

À POPULAÇÃO DE PETRÓPOLIS

 

O Papa Francisco manifestou proximidade à população de Petrópolis (RJ), atingida pelas chuvas na última semana, ao final da oração do Ângelus, no domingo, 21 de fevereiro.

Manifesto a minha proximidade às populações atingidas recentemente por calamidades naturais, penso em particular no sudeste de Madagáscar, flagelado por uma série de furacões, e na área de Petrópolis, no Brasil, devastada por inundações e deslizamentos de terra. Que o Senhor receba os falecidos na sua paz, conforte as famílias e apoie aqueles que prestam socorro.

 

Solidariedade

E neste momento em que muitas famílias estão desabrigadas ou que perderam seus pertences, o Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) incentiva uma grande corrente de solidariedade nas igrejas e na sociedade. A iniciativa busca enviar doações à diocese de Petrópolis por meio de depósito, transferência bancária ou PIX, conforme os dados bancários abaixo:

Banco Bradesco
Agência: 0401;
Conta Corrente: 114.134-1;
CNPJ (CHAVE PIX): 28.805.190/0001-33.

Todos os recursos arrecadados serão destinados às ações emergenciais e o socorro das famílias. Maiores informações sobre outras formas e tipos de doações, bem como ajuda com serviço voluntário, poderão ser obtidas em (24) 98828-0215 ou (24) 98819-1455.

 

Oferecer a outra face

Na reflexão sobre o Evangelho do Domingo antes da oração mariana do Ângelus, o Papa Francisco refletiu sobre a exortação de Jesus para amar os inimigos e fazer o bem àqueles que nos odeiam (Lc 6, 27). Recordando o exemplo de Jesus, que oferece a outra face, Francisco motivou a todos a, diante da injustiça, “desanuviar o rancor” e “extinguir o ódio e ao mesmo tempo a injustiça, procurando recuperar o irmão culpado”.

“Oferecer a outra face é vencer o mal com o bem, abrindo uma brecha no coração do inimigo, desmascarando o absurdo do seu ódio. E esta atitude, oferecer a outra face, não é ditada pelo cálculo nem pelo ódio, mas pelo amor”, afirmou o Papa.

Francisco ressaltou que “é o amor gratuito e imerecido que recebemos de Jesus, que gera no coração um modo de agir semelhante ao seu, que rejeita qualquer vingança”.

“A força de amar é o Espírito Santo, e com o Espírito de Jesus podemos responder ao mal com o bem, podemos amar quem nos fere. Assim fazem os cristãos”, ressaltou.

Ao final da reflexão, o Papa convidou a pensar numa pessoa que nos feriu; colocar o ressentimento ao lado da imagem de Jesus; depois, pedir ao Espírito Santo que aja no nosso coração. E, por fim, orar por aquela pessoa que nos feriu.

“Paremos e oremos ao Senhor por aquela pessoa, para que Ele a ajude, e então este sentimento de rancor será dissipado. Rezar por quem nos feriu é o primeiro passo para transformar o mal em bem”.

 

 

 

 

 

Compartilhar postagem nas redes sociais: